30/05/2024

Brasil Argentina Portal de Integração

Ordem Progresso União e Liberdade

MotoGP, 2021: Teste Qatar, a Ducati e a inovação

2 minutos de lectura
Nenhuma marca trouxe para o Qatar tantas novidades como a Ducati. A fértil imaginação de Gigi Dall’Igna parece não ter limites e os resultados estão à vista “A Ducati pode ter estado à procura de uma forma de limpar o fluxo de ar nessa zona, canalizando-o para aumentar a velocidade máxima.” A volta de ataque […] O conteúdo MotoGP, 2021: Teste Qatar, a Ducati e a inovação aparece primeiro em MotoSport.

Nenhuma marca trouxe para o Qatar tantas novidades como a Ducati. A fértil imaginação de Gigi Dall’Igna parece não ter limites e os resultados estão à vista

“A Ducati pode ter estado à procura de uma forma de limpar o fluxo de ar nessa zona, canalizando-o para aumentar a velocidade máxima.”

A volta de ataque de Miller na noite de quarta-feira foi a prova de que ele e o novo modelo da GP21 estão a parecer uma parceria formidável esta temporada, com os reis da inovação do MotoGP a trazer muitas peças novas para testar no Qatar.

O mais notável foi um novo conjunto aerodinâmico dianteiro, uma mudança significativa e algo que nunca vimos antes.

 

De cada lado da aresta de ataque da carenagem, há uma espécie de condutas que depois fecham em espiral numa direção descendente e tenderiam a atirar o ar recolhido para baixo, criando pressão lateral quando a moto está inclinada.

É difícil ter a certeza, mas a Ducati pode ter estado à procura de uma forma de limpar o fluxo de ar nessa zona, canalizando-o para aumentar a velocidade máxima, bem como criar mais aderência em curva.

Em outros aspetos, a famosa ‘caixa de salada’ tem uma forma diferente nas novas motos.

 

A cauda está nitidamente mais estreita quando vista de cima, o que pode ser outro fator a ajudar a cortar o ar a caminho da temível velocidade de ponta conseguida pelas vermelhas, que atinge quase os 360 Km/h e bate todas as outras marcas por boa margem.

Outra das grandes mudanças que vimos em 2021 é o dispositivo frontal que a maioria das fábricas tem agora.

A Ducati, mais uma vez, foi a inovadora, mas juntamente com Aprilia, Honda, KTM e Suzuki, todas foram vistas no Qatar a sair da linha com a mota agachada na frente, bem como na traseira.

Ao chegar à primeira curva, um toque num manípulo faz a suspensão regressar ao normal.

A Ducati irá agora decidir que peças adotar, pois uma vez homologadas, só uma atualização será permitida ao longo da época.

MotoSport.
motos,motos