13/04/2024

Brasil Argentina Portal de Integração

Ordem Progresso União e Liberdade

Felipe Neto pisa na Bola em lançamento de NFT baseada na rede Hathor

2 minutos de lectura
No sábado (12), Felipe Neto lançou seus primeiros NFTs usando a plataforma 9Block. Mas já se antecipando as possíveis críticas... O conteúdo Felipe Neto foi enganado por criptomoeda brasileira? apareceu primeiro em Cointimes.

No sábado (12), Felipe Neto lançou seus primeiros NFTs usando a plataforma 9Block. Mas já se antecipando as possíveis críticas em relação aos supostos impactos ambientais que as criptomoedas causam, o youtuber tuitou que a plataforma, baseada na Hathor Network, “não deixa pegada de emissão de carbono no meio ambiente”.

Como explicou o perfil da Paradigma Education no Twitter, a rede Hathor, criada por brasileiros, usa o mesmo algoritmo de mineração que o Bitcoin e “inclusive, aceita os mesmos mineradores”. Portanto, uma “propaganda verde” implicitamente anti-bitcoin não faria o menor sentido.

Vale notar que a Paradigma diz que conhece e admira membros do time da Hathor, ou seja, os comentários servem apenas para esclarecer o tema e entender se Felipe Neto errou ou não ao afirmar que a plataforma não tinha pegada de carbono.

A Hathor Network utiliza o mesmo modelo de consenso do bitcoin, que é a prova de trabalho com uso de energia elétrica, e além disso, faz proveito do merged mining com BTC. De acordo com tweet da ParadigmaEdu, a rede possui cerca de 200 milhões de tokens e 1 bilhão pré-minerado.

O envio de tokens pré-minerados para aqueles que provarem que usam mineração via renováveis foi confirmado por Guto Martino, marketing da Hathor, que ressaltou a necessidade de diligência da F2Pool para o recebimento dos tokens.

Martino, porém, não gostou do tom dos tweets da Paradigma e respondeu.

tweet de gutomartino
tweets

Para explicar o merged mining, Bernardo Quintao fez uma analogia com uma “carona” de bicicleta em um ônibus.

tweets

Por conta do uso de energia que é constantemente comparado ao gasto de pequenos países como Argentina, a mineração de bitcoin é atacada na mídia como vilã na questão do aquecimento global. Porém, em matérias tradicionais entram todo tipo de cálculo errôneo como dividir o gasto por número de transações e outras bizarrices.

Também se esquecem de fazer outras comparações igualmente verdadeiras como: a rede do BTC gasta a mesma quantidade de energia anual que luzes de decoração natalina nos Estados Unidos.

 

QUER SABER MAIS SOB A REDE HATHOR ?  CLICK AQUI ou visita https://hathor.network/