16/04/2024

Brasil Argentina Portal de Integração

Ordem Progresso União e Liberdade

Coinbase supera Apple e Facebook na preferência do investidor brasileiro

2 minutos de lectura
Desde a estreia na Nasdaq, investidores do país realizaram 4.000 operações com o papel da corretora americana de criptoativos

Monitors display Coinbase signage during the company's initial public offering (IPO) at the Nasdaq MarketSite in New York, U.S., on Wednesday, April 14, 2021. Coinbase Global Inc., the largest U.S. cryptocurrency exchange, is set to debut on Wednesday through a direct listing, an alternative to a traditional initial public offering that has only been deployed a handful of times. Photographer: Michael Nagle/Bloomberg via Getty Images

Dois dias após sua estreia na Nasdaq, a corretora americana de criptoativos Coinbase (COIN) se tornou a terceira ação mais negociada pelos  brasileiros na plataforma de investimentos Stake, superando empresas mais conhecidas como Apple e Facebook. Em 48 horas foram realizados mais de 4.000 trades e investidos 8 milhões de dólares no papel. A ação só perde na preferência do investidor para as montadoras de carros elétricos Tesla (TSLA) e Nio (NIO).

Desde o início das negociações, na quarta-feira, 14, o papel representou mais de um terço de todas os trades realizados em todo o mundo pela Stake. Nas primeiras 24 horas foram 2.000 trades dentro da plataforma, com um volume de transação chegando a quase 4 milhões de dólares. A faixa etária dos compradores é majoritariamente de 25 e 34 anos.

A grande movimentação impressiona, mas não surpreende, diz Paulo Kulikovsky, COO da Stake. «Não é novidade que o mercado de bitcoin está atraindo mais pessoas, que, em busca de investimentos de alta rentabilidade, entram de cabeça no mundo das criptomoedas. É natural que a listagem de uma empresa como a Coin, que gerou 1,8 bilhão de dólares só no primeiro trimestre, gere toda essa movimentação.» A empresa era avaliada em 63 bilhões de dólares na sexta.

ETFs do segmento
Também é possível investir no mercado de criptoativos lá fora por meio de ETFs. Veja abaixo algumas opções:

• Galaxy Digital ($GLXY): empresa do gestor bilionário Michael Novogratz, é uma asset e também uma provedora de serviços financeiros para o mercado de criptoativos. Cuida de carteiras públicas e privadas de investimento na criptoeconomia.

• Riot ($RIOT) e MARA ($MARA): mineradoras de grande porte da rede do Bitcoin que são negociadas na Nasdaq.

• Canaan ($CAN): empresa que fabrica máquinas utilizadas na mineração de bitcoins por meio de supercomputadores.

• Amplify Transformational ($BLOK): investe em blockchain e tem aproximadamente 130 bilhões de dólares em carteira.

Fuentes BR,Fuentes BR