30/05/2024

Brasil Argentina Portal de Integração

Ordem Progresso União e Liberdade

Polícia da Nigéria detém 67 pessoas que participavam de casamento gay

1 minuto de lectura
Homossexualidade é considerada crime no país. Penas podem atingir até 14 anos de prisão. Estampada em arco-íris, bandeira da comunidade LGBTQIAPN+ representa a diversidade Pixabay A polícia da Nigéria prendeu na manhã desta segunda-feira (29) 67 pessoas que participavam de um casamento gay no sul do país, em Ekpan. De acordo com a polícia, dois desses eram os noivos e os demais foram convidados para a festa que teve início na noite de domingo. A polícia do Delta invadiu um hotel em Ekpan onde o casamento estava acontecendo e prendeu inicialmente 200 pessoas, disse o porta-voz. Depois que as investigações iniciais foram concluídas, 67 deles permaneceram detidos. "A homossexualidade nunca será tolerada na Nigéria", disse o porta-voz da polícia Bright Edafe para repórteres. As detenções de pessoas homossexuais são comuns no país, o mais populoso de África. A "Lei de Proibição do Casamento entre Pessoas do Mesmo Sexo", aprovada em 2013, prevê penas de até 14 anos para quem comete o crime. Aqueles que são considerados cúmplices podem pegar até 10 anos de detenção. “Estamos em África e estamos na Nigéria. Não podemos copiar o mundo ocidental porque não temos a mesma cultura", falou. Ele reiterou que os agentes da polícia na Nigéria “não podem ficar de braços cruzados” e ver os gays expressarem abertamente a sua orientação sexual no país.

Homossexualidade é considerada crime no país. Penas podem atingir até 14 anos de prisão. Estampada em arco-íris, bandeira da comunidade LGBTQIAPN+ representa a diversidade
Pixabay
A polícia da Nigéria prendeu na manhã desta segunda-feira (29) 67 pessoas que participavam de um casamento gay no sul do país, em Ekpan.
De acordo com a polícia, dois desses eram os noivos e os demais foram convidados para a festa que teve início na noite de domingo.
A polícia do Delta invadiu um hotel em Ekpan onde o casamento estava acontecendo e prendeu inicialmente 200 pessoas, disse o porta-voz. Depois que as investigações iniciais foram concluídas, 67 deles permaneceram detidos.
«A homossexualidade nunca será tolerada na Nigéria», disse o porta-voz da polícia Bright Edafe para repórteres.
As detenções de pessoas homossexuais são comuns no país, o mais populoso de África.
A «Lei de Proibição do Casamento entre Pessoas do Mesmo Sexo», aprovada em 2013, prevê penas de até 14 anos para quem comete o crime. Aqueles que são considerados cúmplices podem pegar até 10 anos de detenção.
“Estamos em África e estamos na Nigéria. Não podemos copiar o mundo ocidental porque não temos a mesma cultura», falou.
Ele reiterou que os agentes da polícia na Nigéria “não podem ficar de braços cruzados” e ver os gays expressarem abertamente a sua orientação sexual no país.

 

Fuentes BR