18/06/2024

Brasil Argentina Portal de Integração

Ordem Progresso União e Liberdade

OMS investiga mutação da covid, mas reforça que forma de contagio não mudou

2 minutos de lectura
A OMS destacou que não há indicações de mudança na forma de contágio da mutação e, por isso, os atuais protocolos de prevenção devem ser mantidos The post OMS investiga mutação da covid, mas reforça que forma de contagio não mudou appeared first on Exame.

Illustration of coronavirus particles. Coronaviruses are a group of viruses named for their appearance under electron microscopy, where their round-tipped surface spikes make them resemble a crown. They can infect many animals and humans, causing respiratory diseases including the common cold, as well as more serious pneumonia. The 2019-2020 Covid-19 outbreak that started in Wuhan, China, is caused by the new coronavirus SARS-CoV-2 (previously 2019-nCoV). The 2003 SARS outbreak was also caused by a novel coronavirus.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) ainda investiga detalhes sobre a mutação do novo coronavírus, confirmada neste fim de semana pelo Reino Unido, com transmissibilidade 70% maior. “Estamos buscando informações. Haverá detalhes em torno da variante nas próximas semanas”, disse em coletiva de imprensa na tarde desta segunda-feira, 21, a epidemiologista do Programa de Emergência em Saúde da OMS, Maria Van Kerkhove.

Por outro lado, a especialista destacou que não há indicações de mudança na forma de contágio da mutação e, por isso, os atuais protocolos de prevenção devem ser mantidos – e até mesmo ampliados. “Faça o que puder para se manter seguro”.

Kerkhove evitou atribuir a segunda onda de covid-19 na Europa à mutação agora confirmada pelo governo britânico. “Pode ser a variante, mas também os fatores comportamentais”, afirmou, em referência ao relaxamento de medidas preventivas por parte da população. Por isso, a epidemiologista defendeu o aperto de restrições no Reino Unido. “Elas são necessárias neste momento”. Entre ontem e hoje, mais de dez países já suspenderam voos com origem na Grã-Bretanha, incluindo Itália, Áustria e Bélgica.

O diretor executivo do Programa de Emergências em Saúde da OMS, Mark Ryan, por sua vez, fez questão de ressaltar na coletiva de imprensa que a mutação do coronavírus pode ser ainda “mais eficiente” – fator informado por autoridades de saúde do Reino Unido -, e pode ter impacto significativo nos números de infectados. Até o momento, contudo, Ryan ressaltou, não há informações de que a mutação cause aumento da mortalidade entre os contaminados.

BR, Fuentes BR