22/07/2024

Brasil Argentina Portal de Integração

Ordem Progresso União e Liberdade

Exército cria normas e vai apagar comentários de ódio e político-partidários nas redes sociais

2 minutos de lectura
Documento orienta uso das redes sociais da instituição; de acordo com novas regras, a Força poderá encaminhar as mensagens de violência às "autoridades competentes". Em uma nova política para redes sociais, o Exército determinou a exclusão de comentários com mensagens de ódio, discriminação, racismo, incitação à violência ou contendo opiniões de cunho ideológico e partidário postados em seus canais oficiais. Exército vai excluir mensagens de ódio em redes sociais A "Política de Moderação nas Mídias Sociais do Sistema de Comunicação Social do Exército Brasileiro" lista quais mensagens poderão ser excluídas ou moderadas pelas contas oficiais da instituição. De acordo com a política, serão excluídos pelo Exército comentários que: usem linguagem inapropriada, obscena, caluniosa, grosseira, abusiva, difamatória, ofensiva ou de qualquer outra forma reprovável; concretizem apologia a práticas ilícitas; incitem o ódio, a violência, o racismo ou façam discriminação de qualquer ordem; contenham ameaças, assédio, injúria, calúnia ou difamação, ou configurem qualquer outra forma de ilícito penal; divulguem conteúdos na forma de spam ou "correntes"; caracterizem intuito comercial ou publicitário; estejam repetidas, desde que publicadas pelo mesmo autor; sejam ininteligíveis ou descontextualizadas; contenham propagandas político-partidárias; manifestações ou opiniões de cunho político ou ideológico; contenham links suspeitos ou representem ameaça à segurança da informação; usem informações e imagem de pessoas e instituições indevidamente; contenham dados pessoais do autor ou de terceiros; violem os direitos de imagem e de propriedade intelectual; sejam fraudulentas ou promovam conteúdo inverídico. Os comandantes das Forças Armadas prestam continência ao presidente Lula durante cerimônia em comemoração ao Dia do Exército Ricardo Stuckert/Presidência da República Encaminhamento às autoridades De acordo com a política, o objetivo das redes sociais do Exército Brasileiro é divulgar a atuação da instituição para a sociedade, como forma de disseminar e ampliar o acesso à informação. "O usuário que desrespeitar essas regras poderá (...) ser bloqueado imediatamente, independentemente de justificativa, consulta ou aviso, e, conforme o conteúdo, as mensagens poderão ser encaminhadas às autoridades competentes", diz o texto. Ainda segundo o documento, a atuação com moderação e filtragem dos comentários definidos pelas novas regras é necessária para "melhor adequar as páginas ao público".

Documento orienta uso das redes sociais da instituição; de acordo com novas regras, a Força poderá encaminhar as mensagens de violência às «autoridades competentes». Em uma nova política para redes sociais, o Exército determinou a exclusão de comentários com mensagens de ódio, discriminação, racismo, incitação à violência ou contendo opiniões de cunho ideológico e partidário postados em seus canais oficiais.
Exército vai excluir mensagens de ódio em redes sociais
A «Política de Moderação nas Mídias Sociais do Sistema de Comunicação Social do Exército Brasileiro» lista quais mensagens poderão ser excluídas ou moderadas pelas contas oficiais da instituição.
De acordo com a política, serão excluídos pelo Exército comentários que:
usem linguagem inapropriada, obscena, caluniosa, grosseira, abusiva, difamatória, ofensiva ou de qualquer outra forma reprovável;
concretizem apologia a práticas ilícitas;
incitem o ódio, a violência, o racismo ou façam discriminação de qualquer ordem;
contenham ameaças, assédio, injúria, calúnia ou difamação, ou configurem qualquer outra forma de ilícito penal;
divulguem conteúdos na forma de spam ou «correntes»;
caracterizem intuito comercial ou publicitário;
estejam repetidas, desde que publicadas pelo mesmo autor;
sejam ininteligíveis ou descontextualizadas;
contenham propagandas político-partidárias;
manifestações ou opiniões de cunho político ou ideológico;
contenham links suspeitos ou representem ameaça à segurança da informação;
usem informações e imagem de pessoas e instituições indevidamente;
contenham dados pessoais do autor ou de terceiros;
violem os direitos de imagem e de propriedade intelectual;
sejam fraudulentas ou promovam conteúdo inverídico.
Os comandantes das Forças Armadas prestam continência ao presidente Lula durante cerimônia em comemoração ao Dia do Exército
Ricardo Stuckert/Presidência da República
Encaminhamento às autoridades
De acordo com a política, o objetivo das redes sociais do Exército Brasileiro é divulgar a atuação da instituição para a sociedade, como forma de disseminar e ampliar o acesso à informação.
«O usuário que desrespeitar essas regras poderá (…) ser bloqueado imediatamente, independentemente de justificativa, consulta ou aviso, e, conforme o conteúdo, as mensagens poderão ser encaminhadas às autoridades competentes», diz o texto.
Ainda segundo o documento, a atuação com moderação e filtragem dos comentários definidos pelas novas regras é necessária para «melhor adequar as páginas ao público».Fuentes BR