30/05/2024

Brasil Argentina Portal de Integração

Ordem Progresso União e Liberdade

Bolívia: Alberto Fernández diz que vitória de aliado de Evo Morales é «ato de justiça»

4 minutos de lectura
O presidente argentino comemorou o resultado das bocas de urna que dariam vitória ao candidato do partido de Evo Morales, Luis Arce. O opositor Carlos Mesa já reconheceu a derrota.

 

Em suas redes sociais o presidente argentino comemorou a vitória dada pelas pesquisas de boca de urna ao candidato do MAS, Luis Arce, no pleito deste domingo (18) na Bolívia. Segundo projeções, Arce teria ganhado no primeiro turno com significativa vantagem sobre o segundo colocado, Carlos Mesa. O resultado oficial ainda não foi declarado pela Justiça Eleitoral boliviana. No entanto, a presidente em exercício, Jeanine Áñez, reconheceu a vitória de Arce também por meio de suas redes sociais. Observadores internacionais também reiteraram que as eleições aconteceram sem incidentes significativos, ordenadamente e democraticamente.

   ​

«A vitória do partido MAS na Bolívia não é apenas boa notícia para aqueles que defendem a democracia na América Latina. É também um ato de justiça diante das agressões sofridas pelo povo boliviano», escreveu Alberto Fernández.

 

Fernández e Luis Arce.

Fernández e Luis Arce.

 

Evo Morales atualmente vive em Buenos Aires. O ex-presidente boliviano renunciou à presidência em 2019, após violentos distúrbios no país. Depois de deixar a Bolívia, Morales passou por Cuba e pelo México e foi acolhido na Argentina pelo presidente Alberto Fernández após sua vitória nas eleições. Morales chegou a dizer que deve a Fernández sua «vida».

 

Em dezembro de 2019, o chanceler argentino Felipe Solá afirmou que Evo Morales tinha adquirido o status oficial de «refugiado no país». Solá relembrou o episódio nesta segunda-feira, por meio de suas redes sociais, e afirmou que a » Argentina nunca reconheceu os conspiradores golpistas transformados em um governo de fato». Cristina Kirchner, atual vice de Fernández, também usou as redes sociais para reiterar seu apoio ao governo de Arce. «Boa segunda-feira a todos e a todas. Parabéns a Lucho Arce e David Choquehuanca que, ao lado de Evo, construíram na Bolívia um grande triunfo popular. A Pátria Grande feliz», escreveu.

 

Arce foi ministro da Economia na Bolívia durante quase a totalidade dos governos de Evo Morales .

Arce foi ministro da Economia na Bolívia durante quase a totalidade dos governos de Evo Morales .

 

Buenos Aires, Morales acompanhou o pleito de um hotel no centro da capital portenha junto a apoiadores e colegas do partido. Em seu primeiro discurso após a divulgação dos resultados da boca de urna, o ex-presidente reiterou o desejo de regressar ao seu país e não descartou aceitar um cargo caso Arce seja efetivado na presidência. «Mais cedo ou mais tarde voltaremos à Bolívia, isso não está em discussão», afirmou na ocasião.

 

Arce foi ministro da Economia na Bolívia durante quase a totalidade dos governos de Evo Morales (2006-2019), com exceção de um período de 18 meses. Ele é visto por muitos como o responsável por uma bonança econômica que quadruplicou o PIB do país e reduziu o nível de pobreza da população de mais da metade para 37%, segundo dados oficiais.

 

Arce é visto por muitos como o responsável por uma bonança econômica.

Arce é visto por muitos como o responsável por uma bonança econômica.

 

Em uma de suas primeiras manifestações após os resultados das bocas de urna, Arce usou palavras conciliadoras. «Estou muito grato pelo apoio e confiança do povo boliviano. Recuperamos a democracia e recuperamos a estabilidade e a paz social. Unidos, com dignidade e soberania», disse.

 

No Brasil, o presidente Jair Bolsonaro ainda não se manifestou. Já o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva felicitou Evo Morales e Arce por meio de suas redes sociais. «Meus parabéns ao povo boliviano, que restabeleceu sua democracia. Parabéns para @LuchoXBolivia [Luis Arce] e meu amigo @evoespueblo [Evo Morales], que depois de um ano difícil podem ver respeitado o voto popular. Que a Bolívia retorne ao caminho do desenvolvimento com inclusão e soberania», tuitou o ex-presidente.

 

Arce: "Recuperamos a democracia e recuperamos a estabilidade e a paz social".

Arce: «Recuperamos a democracia e recuperamos a estabilidade e a paz social».

 

A contagem oficial dos votos pode demorar ainda alguns dias, mas o principal opositor de Arce nas eleições, Carlos Mesa, já deu a entender nas redes sociais que ocupará um lugar de oposição ao novo governo. «Cabe-nos ser a cabeça da oposição. Honraremos a Bolívia». Ele reconheceu nesta segunda (19) que as projeções «são muitos difíceis de serem revertidas».

 

«Ainda não temos uma contagem oficial, mas pelos dados que temos, o Sr. Arce e o Sr. Choquehuanca venceram as eleições. Parabenizo os vencedores e peço que governem pensando na Bolívia e na democracia», escreveu no domingo a presidente em exercício Jeanine Áñez.

 

"Ainda não temos uma contagem oficial", escreveu Jeanine Áñez.

«Ainda não temos uma contagem oficial», escreveu Jeanine Áñez.

 

O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, também reconheceu Arce como o novo presidente boliviano. «O povo boliviano se manifestou nas urnas. Nós parabenizamos Luis Arce e David Choquehuanca e lhes desejamos sucesso em seus empreendimentos futuros. Tenho certeza de que, com a democracia, saberão construir um futuro brilhante para seu país. Um reconhecimento ao povo boliviano», escreveu em suas redes sociais.

TEMAS QUE APARECEN EN ESTA NOTA

Fuentes ARG

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *